Revista Bá

Adeus a Carlos Araújo

Além de um almoço delicioso era com esse sorriso e doçura que ele nos recebia sempre... Pronto para ouvir, estimular ou contar uma boa história, e ele tinha tantas e tantas histórias. Eu tive a alegria de ouvir dele com riqueza de detalhes e maravilhada a linda história da sua vida. Gargalhamos, calamos e também enchemos os olhos de lágrimas. mari-araujo

Carlos Araújo foi o meu maior e mais generoso personagem, companheiro da vida toda do meu pai, homem honesto e apaixonado que dedicou a existência à luta pela democracia e pela liberdade. O tio Carlos tinha que viver mais para contar mais histórias e continuar dividindo conosco o amor que tinha pelas pessoas, a vontade que tinha de viver e a busca diária e incessante por uma sociedade mais equilibrada. Vai deixar saudade e vazio nas pessoas que o conheciam de verdade.

Tinha um milhão de amigos de todos os jeitos, sobrenomes, cores, sexos, camadas sociais, partidos políticos e idades. Muitos deles não viam a política da mesma forma, mas não deixavam de amá-lo. Porque o tio Carlos sempre respeitou todas as pessoas e suas opiniões, sem deixar de ter a sua. Queria ainda ver os netos crescerem e um Brasil mais justo. Ele merecia isso. Mas o fará brilhantemente lá do céu como sempre fez por aqui.

Ficam em nós o exemplo, a alegria, a coragem e o respeito pelo ser humano que ele tinha. Eu e o teu milhão de amigos seguiremos na luta! Descanse em paz, tio Carlos querido! (MB)

Nota: Carlos Araújo, advogado, ativista e ex-deputado, morreu neste sábado (12), aos 79 anos, em decorrência de complicações de doença pulmonar obstrutiva crônica. Ele foi um dos primeiros entrevistados da REVISTA BÁ, sendo personagem de capa da BÁ #3. Relembre a entrevista concedida a Mariana Bertolucci.

ba3